AVISO SOBRE O CONTEÚDO DO BLOG

Todo o conteúdo aqui postado no blog deve ser estudado para que exista uma possível conclusão do leitor, por isso não deve ser levado como de todo verídico.
Com estudo e discernimento dos assuntos postados é que se chega a uma possível conclusão.
Minha missão com este blog é de levantar o véu e dispor de assuntos interessantes e questionáveis.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

JAPAMALA


Japamala
108 contas de devoção espiritual (japa = repetição; mala = cordão ou colar)


Muito antes de Jesus colocar os pés na Terra, o Oriente já utilizava o japamala, um pequeno objeto de devoção espiritual, conhecido mundialmente através da Igreja Católica sob o nome de "terço".
Deferentemente da versão ocidental, o terço hinduísta ou budista é formado por 108 contas de oração, havendo sempre uma conta maior representando a divindade, ao redor do qual giram as 108 distintas manifestações, retornos ou encarnações. É a diversidade que gira em torno de uma única unidade.
Utilizado para orações, meditação ou mantralizações (ato de rezar mantras), o japamala é encontrado nas mãos de qualquer monge tibetano, além dos devotos da trindade indiana, formada pelos deuses Brahma, Vishnu e Shiva. Além disso, ele vem sendo amplamente difundido pelo binduísmo- doutrina espiritual tibetana trazida à luz do conhecimento por grandes mestres orientais.
Fazer japamalas ou japear é uma atitude devocional importantíssima para os devotos que querem se aproximar da divindade em uma atitude mística. É possível oferecer suas orações ao bendito Vishnu, a Bindu, à bendita Mãe Divina, ao Cristo, ou, se preferir simplesmente a Deus.

JAPEANDO E ORANDO

A parte mais importante de qualquer oração e isso se aplica ao japear é a devoção, pois ela sai do coração e não só da mente. Primeiramente, procure um mantra ou oração que se tenha simpatia. No Oriente, é comum usar mantras indianos ou tibetanos como: "Hare Bindu, Hare Bindu, Hare Bindu, Purifica-me, Om, Om, Om." ou: "Om mani padme hum."
Estas práticas podem ser feitas várias vezes ao dia: em casa, no trabalho, na escola, no ônibus e, se possível, em voz alta.

Segure a japamala com uma das mãos e com o polegar gire as pequenas contas conforme for fazendo as orações ou repetições de mantras sagrados. Ao terminar, puxe a segunda conta e continue desta maneira até o final, completando as 108. Neste momento, é importante não passar por cima da conta principal, que representa a divindade. Pode-se dar um beijo nesta conta, demonstrando adoração e devoção e depois virar a japamala e continuar as repetições ao contrário, quantas vezes quiser, mas sempre retornando na conta principal, jamais passando por cima dela.

CONSAGRAÇÃO E PODERES

Consagre o japamala como um objeto mágico, que possui um imenso poder de cura, proteção, conjuração e imantação espiritual. Para tanto, são importantes algumas recomendações:

* Primeiramente, lave o japamala com água e sal, para limpar as energias de todos os que tiveram contato com ele, purificando-o . A partir daí somente você poderá tocá-lo, com raras exceções, como o esposo(a) ou outro familiar próximo.

* Quando não o estiver usando, coloque-o ao pescoço, tirando apenas para tomar banho, dormir, ou japear.

* Perfume-o frequentemente, de preferência com perfume de sândalo compre um vidrinho de essência de sândalo e coloque algumas gotas nas contas de vez em quando.

* Lembre que o japamala cada vez mais se ligará a sua própria devoção. Portanto, quanto mais amor e crença tiver, mais poder ele terá, chegando a se tornar um poderoso amuleto, trazendo-lhe: sorte, saúde, proteção, dinheiro, prosperidade, amores, felicidade etc.

* O japamala possui poderes especiais e espirituais para a cura. Se tiver dor de cabeça, coloque-o acima da cabeça e ore, aliviando, assim, preocupações e auxiliando nas resoluções de problemas. No caso das mulheres, use o japamala para aliviar dores de cólicas menstruais, colocando-o acima do ventre e orando pela cura. Se tive alguma pessoa querida enferma, use o japamala para pedir a cura. Para isso, basta colocá-lo no enfermo e fazer suas orações místicas. Lembre-se apenas de lavá-lo depois com água e sal para limpar as energias.

QUAL MANTRA USAR?

A escolha é individual. Quem medita gosta de contar o número de vezes que entoa um mantra, o que, em geral, acontece em um número múltiplo de 12 por ser o número de anos em que se altera o estado de evolução do homem e sua consciência. O terço da Igreja Católica contém 54 contas, exatamente a metade do Japamala, mantendo a mesma medida.

Curiosidade: Cada verso do Pai-Nosso é um conjunto vibratório e faz uma ressonância em determinado chacra, que recebe um fluxo de energia. Muitos acreditam estar apenas repetindo palavras decoradas, mas essa repetição tem efeito mântrico, trazendo benefícios físicos, emocionais e mentais, trabalhando o indivíduo como um todo.

Fonte: Lucas Coelho

Já visitou minha loja hoje?
Artesanatos da Bruxa Luciana


















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pela visita, deixe o seu comentário, todas as opiniões construtivas são válidas.